Vigilância em Saúde Ambiental monitora qualidade da água em Sergipe

postado em: Notícias | 0
 Por Morgana Barbosa

A água consumida em território sergipano é monitorada de forma contínua por meio de mecanismos estabelecidos pelo Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (VIGIÁGUA). Implantado em 2004 pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental, o programa tem por objetivo garantir que a água consumida pela população chegue em condições adequadas de uso e sem riscos de contaminação.

Em parceria com os municípios, são recolhidas amostras de água para análises realizadas no Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen), unidade gerida pela Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH). A partir dos resultados dessa investigação, são realizadas análises que embasam a elaboração de estratégias para garantia da qualidade da água ou para que sejam realizadas intervenções, caso seja necessário.

“O quantitativo de amostras recolhidas por município varia de acordo com o quantitativo da população abastecida. Por mês, a depender da localidade, o número de amostras recolhidas  intercalam de 10 à, no máximo, 53.  Em Aracaju, por exemplo, são recolhidas 53 amostras por mês”, ressaltou o gerente estadual em Vigilância de Saúde Ambiental,  Alexsandro Xavier Bueno.

O gerente acrescenta que o objetivo é verificar o atendimento ao padrão de potabilidade brasileiro, observado através de parâmetros estabelecidos pela Portaria do Ministério da Saúde nº 2.914/ 2011, que estabelece os valores máximos permitidos de aspectos como turvidez, a presença (ou não) de bactérias, a cor da água, a interferência de fatores químicos, entre outros. A partir desses dados são elaborados laudos que embasam a tomada de decisões.

Carro-pipa

Nos casos em que são decretadas ‘situação de emergência’, e contam com a intervenção do Exército ou Defesa Civil Estadual, a Vigilância Sanitária Estadual atua de maneira sistemática. Além da fiscalização aos veículos de transporte de água (carros-pipa), são realizadas análises da água, além de outras medidas que garantem a segurança da população.

“A Vigilância Sanitária conta com técnicos capacitados pelo Estado para fazer a fiscalização dos veículos, incluindo a realização do cadastro de motoristas, cadastro das fontes de abastecimento e a análise das águas transportadas”, explica Alexsandro Bueno.

O gerente Estadual da Vigilância em Saúde Ambiental ressalta que a população recebe orientações por parte dos profissionais envolvidos nesse trabalho. Entre as recomendações estão o uso de hipoclorito de sódio (que são repassados pelos agentes comunitários de saúde, responsáveis por orientar a população sobre correto uso desse produto), distribuído gratuitamente pelas Secretarias Municipais de Saúde.

“É importante que a população não construa cisternas próximas a fossas sanitárias e não consumam água de caminhões de procedência duvidosa, com estado de conservação visivelmente deteriorado”, alerta o gerente.