Tratamento do Câncer de mama em Sergipe é debatido em evento

postado em: Destaque 3, Notícias | 0

Mais um grande passo foi dado na manhã desta sexta-feira, 24, para aprimorar o atendimento de pessoas com câncer de mama em Sergipe. Diversas instituições ligadas ao tratamento dos pacientes oncológicos, médicos mastologistas e gestores da saúde pública estadual e municipal participaram do evento “Abordagem integrada para aprimorar o atendimento do câncer de mama em Sergipe”.

 

O projeto é realizado a partir de uma parceria entre Centro de Estudos do Hospital Perola Byngton, Hospital do Câncer de Barretos e Instituto Oncoguia com apoio da Fundação Susan G. Komen e visa contribuir com uma integração dos serviços de atenção relacionados ao câncer de mama em Sergipe.

 

“Nós chegamos a uma conclusão de que o fato de atender rápido e treinar os médicos para atender os pacientes, realizar os exames e fazer biópsia, diminui bastante o tempo para iniciar o tratamento e salva muitas vidas, sem gastar dinheiro. Então é um modelo do Sistema Único de Saúde, é uma forma de trabalho que existe apenas a partir do treinamento dos médicos. Como o hospital trata por ano, 1.100 casos, que é o dobro de casos do estado de Sergipe, então nós achamos que é possível aqui com esses parceiros”, declarou o professor e diretor médico do Hospital Pérola Byington, Luiz Henrique Gebrim.

 

De acordo com o secretário adjunto da Saúde, Luiz Eduardo Correia, discutir o tratamento para pacientes com câncer de mama é uma ação de extrema importância para os profissionais e um ganho para a qualidade do serviço ao paciente. “A gente tem uma preocupação muito grande na área da oncologia. O foco na formação do Huse é um hospital de trauma que esta sobrecarregado com assistência Oncológica, de rede básica, rede intermediária, ou seja, o foco do hospital está sendo totalmente sobrecarregado. Uma nova previsão está em construção, que é o |Hospital do Câncer, teremos uma sobrevivência grande para uma melhor qualidade na assistência. A proposta é ampliar a assistência, otimizando recursos, efetivando o foco da atenção de algumas unidades para todo o interior do estado”, declarou.

 

Na ocasião, foi anunciado um treinamento para os médicos, assistentes sociais e técnicos em radiologia que irá permitir um atendimento integrado e dessa forma, reduzir o tempo de espera para o diagnóstico do câncer de mama. A coordenadora do grupo Mulheres de Peito, Sheila Galba, prestigiou o evento e ressaltou que o tratamento oncológico viverá uma nova fase. “Estou muito feliz em poder presenciar esses avanços que estão chegando para o tratamento do câncer de mama aqui em nosso estado. Que haja essa integração e que o paciente oncológico só tenha benefícios e melhorias em seu tratamento”, disse.