SES realiza oficina de monitoramento de indicadores de saúde

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

A Diretoria de Planejamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou nesta quarta-feira, 12, Oficina de Monitoramento e Avaliação em Saúde, reunindo as áreas técnicas da casa para construírem, juntas, o modelo de acompanhamento e avaliação das metas de indicadores de saúde e de processos, definidos nos instrumentos de planejamento em 2019. A capacitação foi realizada no auditório da Fundação Estadual de Saúde (Funesa), parceira da oficina.

Em 2019, a Secretaria de Estado da Saúde trabalhou em vários momentos o Planejamento Estratégico, que resultou no Plano Estadual de Saúde (PES), cuja validade vai de 2020 a 2023, a partir do qual foi elaborada a Programação Anual para orientar os gestores na execução das ações, serviços, projetos e programas, segundo informou o diretor de Planejamento da SES, Davi Fraga.

“A gestão do SUS é regrada por vários instrumentos de planejamento que têm  que convergir,  conversar porque as áreas técnicas da SES têm que ter muito bem claro o norte ao qual a gestão quer chegar, o que é que a população precisa e espera da gente. O monitoramento e a avaliação vão mostrar como está o desempenho das metas e ações que estamos desenvolvendo na SES. O foco é sempre tratar os instrumentos de planejamento como a legislação do SUS os trata, ou seja, como prioridade”, disse.

A gerente do Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde da SES, Eliane Nascimento, destacou que o monitoramento é focado nas metas dos mais de 20 indicadores de saúde (a exemplo de mortalidade infantil, mortalidade materno, internações por causas sensíveis, consultas de pré-natal  e etc) e dos vários indicadores de processos (exemplo: construção do hospital do câncer e colocar em funcionamento o Centro Especializado de Reabilitação IV), bem como os indicadores prioritários para a gestão.

“Nesta oficina discutimos como iremos construir o monitoramento porque a gente precisa dialogar com as áreas. Pela manhã fizemos um trabalho mais participativo, mais de escuta sobre o que cada um compreendeu o que seja monitorar e avaliar e qual a importância destas ferramentas nos resultados que precisamos ter”, informou Nascimento, acrescentando que na parte da tarde foram apresentados os indicadores e a situação de cada um deles em relação às metas definidas. “Discutimos também as prioridades para o monitoramento”, completou.

No entendimento do diretor de Atenção Integral à Saúde, João Lima, o monitoramento e a avaliação dos indicadores são essenciais para a oferta cada vez mais qualificada dos serviços de saúde. “No SUS, a cada quatro anos se renova o planejamento das ações de saúde e esta oficina é a segunda etapa de uma fase que se iniciou em 2019, com a construção do planejamento estratégico da secretaria e o Plano Estadual de Saúde. Aqui vamos discutir a metodologia do monitoramento e pactuar de que forma ele se dará. Acho este um momento extremamente importante porque as áreas sairão daqui cientes das suas obrigações”, concluiu.

Fotos: Valter Sobrinho ASCOM SES