SES apoia municípios para a reorganização das Equipes de Saúde na Atenção Primária  

postado em: Destaque 3, Notícias | 0

 

Um dos principais papéis da Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Diretoria de Atenção Integral à Saúde (Dais), é apoiar os municípios sergipanos de modo que toda a população seja assistida de forma igualitária e com serviços de qualidade. É sabido que 85% das necessidades referentes à saúde podem ser resolvidas na Atenção Primária evitando, assim, a superlotação de grandes hospitais como o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), referência em atendimentos de média e alta complexidade.

Segundo o diretor de Atenção Integral à Saúde, João Lima, o apoio institucional que o Estado oferece, por meio da Coordenação da Atenção Primária, uma das áreas que compõe a Dais, é fundamental para o fortalecimento da Atenção Primária nos municípios, e colaborar com o remapeamento das Equipes de Saúde na Família é uma dessas atribuições.

“Quando há um aumento da população, ou o credenciamento de uma nova equipe pelo Ministério da Saúde (MS), ou ainda, a necessidade de elaborar o projeto de solicitação ao MS para mais equipes de saúde na família, a Secretaria entra como apoio. Dentre tantos outros trabalhos que se executa durante o ano, hoje, especificamente, estamos com o município de Rosário do Catete para realizar o remapeamento da sua região de saúde” disse João.

A enfermeira e apoiadora da região de Nossa Senhora do Socorro, Marta Suzana Lima da Rocha, explicou que a distância entre as Unidades Básicas e a residência dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e a quantidade de pessoas atendidas pelas equipes e agentes comunitários, também são fatores que exigem uma nova distribuição dos trabalhos e a reorganização do mapa.

“Temos aqui o mapa de toda a área do Rosário do Catete e vemos que algumas necessitam de uma reorganização. Observamos que há locais com população maior, outras distantes da Unidade de Saúde, observamos, também, que tem agente comunitário com quase 700 pessoas enquanto outros têm 100 ou 200, e isso mostra a necessidade de uma melhor redistribuição populacional por equipe. A distribuição precisa ser de forma igualitária, não só em quantidades, mas também em distância, e ter continuidade para que o usuário seja atendido numa localidade o mais próxima possível de sua residência. Então é isso que estamos fazendo aqui, avaliando como melhorar a qualidade na questão do atendimento ao usuário na sua Unidade, e também que fique compatível com cada Unidade e com cada Equipe quanto ao quantitativo de usuários a serem atendidos com qualidade”, comentou Suzana.

Para o coordenador da Atenção Básica em Rosário do Catete, Fabrício Otaviano Queiroz Santos, há três meses nessa função, o apoio da SES é primordial. “Percebemos que o mapeamento da cidade está com algumas problemáticas em relação aos agentes de saúde, cobertura, assistência e cuidados ao paciente e vimos a necessidade desse remapeamento. Como estou recente nessa função, recorri à SES para esse apoio, porque aqui há pessoas com conhecimento técnico do que precisa ser feito para que a gente faça um remapeamento fidedigno e consiga alcançar 100% da população para que todos sejam atendidos e de forma igualitária”.