Serviço odontológico para pacientes com deficiência flui no ritmo esperado

postado em: Destaque 2, Notícias | 18

A Rede Hospitalar de Sergipe deu um grande passo no início deste mês de outubro com a abertura do serviço odontológico sob anestesia geral para pacientes com deficiência no Hospital Regional de Itabaiana, que de forma pioneira, é totalmente gerido pelo Estado. De lá para cá, as cirurgias e demais procedimentos desta área estão transcorrendo com fluidez, tanto que já foram realizadas sete intervenções cirúrgicas e até a próxima semana, a previsão é de que o número suba para nove.

Segundo o cirurgião-dentista Thadeu Cruz, responsável pelo serviço odontológico do hospital, todas as cirurgias realizadas até o momento foram um sucesso. “Temos equipamentos, profissionais, o fluxo está andando e o serviço em pleno funcionamento. Como tudo está transcorrendo dentro do esperado, iremos aumentar gradativamente a quantidade de cirurgias por semana. Estamos muito felizes com o sucesso do serviço que está beneficiando a população de todo o Estado”, disse.

 Ainda de acordo com ele, como este tipo de serviço pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estava sendo ofertado somente pelo Hospital Universitário (HU), e uma vez por semana, há uma fila de espera, mas que, agora, com os procedimentos sendo feitos também em Itabaiana, a demanda reprimida já está diminuindo. “Quando abrimos o serviço aqui no hospital de Itabaiana havia uma fila inicial de aproximadamente 40 pacientes, e este número já está diminuindo. Pretendemos zerar a fila em breve”, conta Thadeu.

 Procedimentos

Entre os procedimentos já realizados pelo serviço odontológico do Regional de Itabaiana estão: raspagem periodontal, extração dentária, profilaxia, restauração de resina e biópsia. “Já fizemos uma gama de procedimentos e alguns deles são mais complexos e chegam a durar 3h. Por isso, a depender do caso, o paciente fica internado ou na observação e liberado poucas horas depois”, declara o cirurgião-dentista. Já foram atendidos no hospital pacientes com Transtorno do Espectro Autista (TEA), paralisia cerebral e com distúrbio do desenvolvimento neuropsicomotor.

 E o superintendente do Hospital de Itabaiana, Darcy Tavares, ressalta a importância da implantação do serviço para toda a população do Estado. “É um serviço de extrema importância para as pessoas que possuem alguma deficiência porque havia uma desassistência grande nesta área. Mas o secretário Almeida Lima tem feito investimentos e mudanças, facilitando o acesso à saúde. O Hospital de Itabaiana tem aumentado cada vez mais seu leque de prestação de serviços”, afirma.