Secretário concede entrevista e destaca redução da fila de cirurgias eletivas

postado em: Notícias, Slide | 0

O secretário de Estado da Saúde, Valberto de Oliveira Lima, concedeu entrevista ao jornalista Fábio Henrique, apresentador do programa Balanço Geral da TV Atalaia, no início da manhã desta terça-feira, 26. Entre os principais pontos destacados pelo secretário estão a redução da fila de cirurgias eletivas, o esvaziamento dos corredores do Huse e sobre a dificuldade de adquirir alguns medicamentos dispensados pelo Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case).

Valberto Lima informou que fazer andar a fila de cirurgias eletivas foi uma das missões a ele confiada pelo governador Belivaldo Chagas assim que assumiu a Secretaria de Estado da Saúde. “Aquela fila, que parecia impossível de avançar, passou a se movimentar. Conseguimos fazê-la se movimentar e já registramos uma redução significativa nesta área. Exemplo disso foi o fato de zerarmos a fila de cateterismo para as pessoas que estavam internadas nos hospitais aguardando pelo exame das coronárias”, disse.

Quanto à fila de cirurgias ortopédicas, o secretário informou que esta área também está avançando graças a parceria com o Hospital de Cirurgia. Ele aproveitou para renovar a informação de que a Secretaria de Estado da Saúde tem efetuado o pagamento do contrato com aquela unidade hospitalar em dia.

E, falando em ortopedia, o secretário destacou uma ação importante empreendida em sua gestão que foi o esvaziamento dos corredores do Huse, até então ocupados em sua maioria por pacientes vítimas de traumas. Porém, enfatizou Valberto Lima que é impossível manter os corredores permanentemente vazios. “A cada época se renova a demanda de pacientes com traumas causados por acidentes de moto, então é preciso um esforço contínuo neste sentido”, revelou.

Questionado sobre a falta de alguns medicamentos no Case o secretário explicou que a unidade atende a usuários de todo o Estado, mas informou que um dos fatores que torna difícil a aquisição de alguns itens é que os fabricantes não têm o produto.