Saúde pretende zerar fila para ressonância magnética e agilizar tomografias para cirurgias eletivas

postado em: Notícias | 35

Ao adotar uma série de medidas de contenção de despesas, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) contabiliza inúmeras ações de qualificação da assistência, entre elas as que contemplam pacientes internados no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) que necessitam realizar cirurgias eletivas, aptas a acontecerem após a realização de tomografias e exames de ressonância magnética, com e sem contraste. Procedimentos esses que serão agilizados através da contratação de uma empresa que fornecerá mão de obra especializada, insumos e técnico para elaboração de laudos. Esses laudos, por sua vez, serão processados em equipamentos também disponíveis no Centro de Acolhimento e Diagnóstico por Imagem (Cadi).

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima, a contratação é uma medida emergencial, portanto temporária, viabilizada pela atual gestão, que visa habilitar pacientes para os processos cirúrgicos que necessitam realizar. Ação essa que suprirá a demanda referente ao acúmulo de mais de mil procedimentos de ressonância magnética com contraste, além de mais de duas mil tomografias.

“A demanda referente à ressonância está sendo suprida pela SES, mesmo não estando entre as competências do Estado a realização do referido procedimento. A SES também se disponibiliza para efetivar a contratação dessa nova equipe, capaz de realizar os procedimentos e garantir a finalização da fila de espera. A medida contemplará pacientes com câncer e com outros diagnósticos”, declarou Almeida Lima.

O secretário de Estado da Saúde considera muito alto o quantitativo de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que necessitam de ressonância magnética, daí a intenção de realizar os exames necessários aos cidadãos que logo poderão ser submetidos a cirurgias. “Com essas e outras medidas, a SES não só tem atentado para questões dessa natureza, como se antecipa nas resoluções, procurando suprir demandas de equipamentos, cirurgias, serviços e exames”, assegurou o gestor.