Reunião de Colegiado Interfederativo discute cirurgias eletivas

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

Em mais uma reunião do Colegiado Interfederativo Estadual (CIE), realizada nesta sexta-feira, 2, no auditório da Secretaria de Estado da Saúde (SES), gestores municipais desta área participaram de discussões e pactuações relacionadas à saúde pública em Sergipe. Entre os assuntos tratados, a disponibilização de recurso federal mediante Portaria Nº 1.294, do Ministério da Saúde, de 29 de maio de 2017, para realização de cirurgias eletivas.

 

De acordo com a diretora de Gestão de Sistema da SES, Márcia Guimarães, o próximo passo a ser dado é a elaboração, no prazo de 30 dias, de um projeto de Estado, autorizado e pactuado para então ser encaminhado ao Ministério da Saúde, a fim de garantir a obtenção do recurso, orçado em 2,7 milhões de reais para Sergipe, cujas ações serão realizadas de julho a dezembro de 2017.

 

“O recurso deve ser distribuído para execução de atividades cirúrgicas em pacientes dos 75 municípios sergipanos. Na reunião de hoje foi pactuada uma comissão para a elaboração desse projeto, que deve ser concluído até o próximo dia 19. Em seguida, será encaminhado para o Ministério da Saúde, que publicará portaria enviando o recurso, sendo o mesmo destinado ao Estado ou aos municípios com capacidade para realização de procedimentos cirúrgicos. O valor é per capita, com base em 288 procedimentos cirúrgicos elencados, que poderão ser executados em unidades hospitalares do Estado, filantrópicos ou até mesmo contratados para o SUS”, explicou Márcia Guimarães.

 

Medicamento disponível

 

Outra pauta em discussão na reunião do CIE é a oficialização do fluxo de solicitação e dispensação do medicamento fenoximetilpenicilina potássica no Centro de Atenção à Saúde (Case), para crianças com idade entre 0 e 5 anos, com doença falciforme.

 

“A medida já foi aprovada e representa um avanço bastante importante para evitar demora na assistência. Temos núcleos que realizam atendimento para essas crianças: o município de Aracaju, o serviço ambulatorial do Hospital Universitário. Muitos desses pacientes saiam desses espaços sem receber a medicação e se dirigiam ao Case. Agora, poderão obter no Case e nesses centros habilitados a medicação para contemplar os pacientes”, afirmou ainda a diretora de Gestão de Sistema da SES.

 

Outro aspecto abordado na reunião do CIE foi a habilitação de ambulatório da Universidade Federal de Sergipe (UFS) do campus de Lagarto em processo transexualizador de abrangência estadual.

 

Na ocasião, foi divulgada a portaria que regulamenta o processo transexualizador no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), bem como a que redefine e amplia esse processo no SUS.  Entre os pontos abordados foi a promoção de cuidados multidisciplinares à população e o fortalecimento da rede de serviços do processo transexualizador, tornando-o o terceiro dessa especialidade a ser realizado no Nordeste e o primeiro em um município a ser realizado no interior do Estado.