Representante do Ministério da Saúde conhece o Complexo Regulatório de Saúde de Sergipe

postado em: Destaque 2, Notícias | 3

Por Júnior Matos

Esta semana, o diretor do Departamento de Atenção de Urgência do Ministério (DAHU), André Born, realizou uma visita técnica ao Complexo Regulatório de Saúde de Sergipe com a finalidade conhecer os avanços da assistência em Sergipe.

Através da pactuação entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Fundação Hospitalar da Saúde (FHS), a função do Complexo Regulatório do Estado é organizar e regular as demandas para o Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), bem como diminuir a lotação dos prontos socorros  em outras unidades da Rede de Urgência e Emergência e unidades filantrópicas.

Criado em 2008, o serviço atua dentro das diretrizes da Política Estadual do Acesso ao Serviço de Regulação e da Portaria Ministerial GM/MS 1.559/2008 da Política Nacional de Regulação. O Complexo Regulatório Estadual ainda tem como meta a otimização da oferta, garantia o direitos e equidade, integralidade e universalidade como forma de fortalecer, cada vez mais, a assistência aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) em  Sergipe.

O Complexo Regulatório de Saúde de Sergipe é composto por: Serviço de Tratamento Fora de Domicílio (TFD), Serviços Hospitalares (regulação de leitos de UTI), Central de Transplantes , Serviços Ambulatoriais , Serviço de Remoção Inter-Hospitalar Assistida (SIHRA) e Central de Regulação das Urgências (Samu 192 Sergipe).

“Explicamos ao representante do MS que o trabalho é efetivado por meio dos Complexos Reguladores, que são estruturas constituídas por centrais de regulação e uma rede de unidades de saúde organizadas por nível de complexidade a partir da atenção primária”, explicou a superintendente do Samu 192 Sergipe, Conceição Mendonça.

Ainda de acordo com a superintendente, as ações desenvolvidas pelo Complexo Regulatório de Saúde de Sergipe  garantem a assistência humanizada e qualificada ao  paciente.“Todas  as informações da rede de urgência  são transmitidas para a Central de Regulação, responsável por organizar o fluxo assistencial, de acordo com o perfil assistencial do paciente. Desta forma, estabelecemos a comunicação entre a gestão e os vários serviços de saúde. Essa medida contribui para a otimização dos processos de trabalho dos profissionais da saúde e garante o atendimento qualificado, além de uma resposta rápida e eficaz ao paciente”, complementa.

Samu 192 Sergipe

Ainda durante a ocasião, dados relacionados aos avanços alcançados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe) no ano de 2015 , a exemplo cerca de quase 20 mil atendimentos pré-hospitalares realizados naquele ano, a diminuição de 42% para 23% do número de trotes, também foram apresentados ao gestor do MS.

Atualmente, o serviço conta 37 bases descentralizadas, 13 Unidades de Suporte Avançado, 46 Unidades de Suporte Básico (USB) além de três motolâncias.

Para o diretor (DAHU) do Ministério da Saúde, André Born, a ação foi positiva e afirmou que o complexo regulatório fortalece as ações em saúde no estado.

“As ações em Saúde no Estado de Sergipe mostram o zelo que os profissionais e a gestão têm com os pacientes. O Complexo Regulatório de Saúde Sergipe possui um nível de organização muito alto e isso qualifica, ainda mais, as ações em saúde desenvolvidas. A sensação é muito positiva. Sergipe desenvolve muito bem as políticas estabelecidas pelo Ministério da Saúde”, revela André Born.