Público masculino lidera procura por atendimento no Pronto Socorro do Huse

postado em: Notícias, Slide | 0

A saúde é a maior prioridade do ser humano e precisa ser levada a sério, principalmente pelos homens. No Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), é comum observar que os usuários do sexo masculino que buscam assistência não vão ao médico com frequência. De acordo com a estatística verificada no Sistema Integrado de Informatização de Ambiente Hospitalar (HOSPUB) do Huse, no segundo semestre do ano passado (agosto a dezembro de 2019), foram totalizados 26.349 atendimentos a usuários do sexo masculino com faixa etária a partir dos 15 anos, contra 21.377 do sexo feminino correspondente a mesma faixa etária, uma demonstração da falta de hábito do público masculino em procurar os serviços de saúde para consultas ou buscar auxílio na prevenção de doenças.

Como é o caso do aposentado Sérgio Vieira, 68, que só vai ao encontro com um especialista para consultas quando algo de errado no seu corpo é apresentado. “Eu tenho artrose e dores constantes na lombar, mas só procuro o profissional quando sinto as dores. Sei que na minha idade é sempre importante fazer uma avaliação rigorosa, um hemograma completo, entre outros exames. Estou me organizando para fazer esse acompanhamento e evitar maiores problemas que podem vir com o avanço da idade”, explicou o aposentado.

Alguns cuidados são indispensáveis quando o assunto é cuidar da saúde: manter os exames em dia é importante e uma forma de prevenção, cuidar da alimentação com acompanhamento de um nutricionista também é fundamental, fazer atividades físicas previne doenças cardíacas e diminui o risco de diabetes entre outros problemas, dormir bem é fundamental para a boa manutenção do organismo, além de consultar um especialista para fazer constantemente acompanhamento.

As doenças que mais acometem o homem são doenças do coração, AVC, infarto, doenças mentais, sofrimento psíquico, cânceres, colesterol elevado e pressão alta. Doenças que estão ligadas principalmente ao sobrepeso, uso de bebidas alcoólicas, fumantes e sedentarismo. De acordo com o nutrólogo e clínico geral, Curt Vieira, a vida corrida e até mesmo o medo da descoberta de alguma doença mais séria, inibe a presença constante de um homem nos consultórios médicos.

“Muitos só buscam auxílio de um médico quando apresentam algum problema de saúde. Aqui no Huse, eles sempre vêm acompanhados da esposa ou do filho. O que eu consigo observar durante as consultas é que eles se mostram fortes, mas, quando a doença ou a dor chegam eles percebem que são frágeis. A vida agitada contribui para que eles não procurem o médico com certa rotina e não cuidam da saúde como deveriam. É importante que o homem se preocupe em fazer saúde preventiva através de acompanhamento médico nas Unidades de Saúde da Família do próprio bairro. Uma orientação que faço sempre durante as consultas é de buscarem uma atividade física, controlar a alimentação, entre outras atividades saudáveis. Cuidar da saúde é cuidar da vida, essa é a frase mais correta”, concluiu o médico.