Palestra sobre valorização da vida reúne funcionários e gestores na MNSL

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizou na tarde desta quinta-feira, 26, no auditório da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), uma ação em alusão ao Setembro Amarelo. A atividade, que teve por objetivo a valorização da vida, foi desenvolvida pela Vigilância de Saúde do Trabalhador (VISAT), pelo Núcleo de Atenção ao Trabalhador (NAT) e a Atenção Básica da Saúde. Participaram da ação, os gestores e funcionários da maternidade.

“A proposta da SES é trazer essa discussão para o local de trabalho para que as pessoas se sintam estimuladas e encorajadas a falar, ouvir, escutar e, se necessário, fazer algum encaminhamento. A SES se mostra preocupada com os profissionais de saúde, que inclui médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e o pessoal da administração que por várias situações acabam vivendo várias situações. Eles cumprem carga extensa e acabam não dando conta dessas multitarefas”, atentou o psicólogo e Referência Técnica na Saúde do Homem, Demétrius Sergio dos Reis.

A fisioterapeuta da Vigilância de Saúde do Trabalhador, Soraia Luiza Gois Melo, comentou que  a SES desenvolveu  em setembro dois momentos sobre  a valorização a vida. “O primeiro momento, foi um ciclo de palestra na SES. Já no segundo momento, fizemos uma oficina voltada para os gestores e para as unidades do interior e no terceiro momento focamos nos gestores da  MNSL, para tentar conscientizar os gestores identificar os problemas dos funcionários, tentar ajudar uma tentativa de suicídio, algum adoecimento mental e depois iremos fazer essa ação no HUSE e SAMU.

Para Glaudenilson Silva, que está à frente do projeto Servidor Zen, que especificamente tem um olhar sobre a saúde do trabalhador, sobre a saúde do servidor, dentro do contesto “Setembro Amarelo”, o convite feito  pelo VISAT foi muito importante. “Trata-se de uma ação Inter setorial, já que envolve outros setores da saúde com olhar voltado com o mesmo objetivo que é a preservação da vida ou prevenção do suicídio. “Amenizamos o termo até porque temos condições, desta forma, com essa linguagem de alcançar um publico maior”, disse Glaudenilson

Sensibilizados  

“Fizemos umas vivencias onde pudemos sensibilizar os participantes a ter um olhar diferenciado sobre o outro. A partir desse olhar diferenciado sobre o outro, conseguimos identificar alguns aspectos que chamam atenção com relação ao cuidado”, comentou Glaudenilson Silva.   “Fomos convidados para ser parceiros na ação de valorização da vida, para trabalhar com os profissionais  nos seus locais de trabalho. É importante ressaltar  que a pessoa deve se autoavaliar  e perceber se há necessidade de buscar uma ajuda psicológica”, atentou o psicólogo e Referência Técnica na Saúde do Homem,  Demétrius Sergio dos Reis, que está na Atenção Básica na Diretoria de Atenção à Saúde,

Para a psicóloga da MNSL, Naiara França  da Silva foi um momento que chegou de “paraquedas”, já que ela não sabia que teria essa ação e foi surpreendida. “Foi muito bom, algo que deveria acontecer regularmente, voltado para o funcionário, sair um pouco do automático. e procurar se ver como um todo, não somente como funcionário que está aqui exercendo suas funções  e começar a notar os sinais que mostrem que a pessoa não está bem e que no momento não consegue exercer o que habitualmente faz. Esse olhar diferenciado e o olhar para si mesmo, são muito importantes para quem cuida do outro”, ressaltou Naiara. A estagiaria de psicologia Adriane Siqueira, disse que as dinâmicas foram bem reflexivas, promovendo uma integração entre todos.

A Responsável Técnica do Núcleo de Educação Permanente, Digena Dias, comentou que o mundo anda em uma velocidade absurda e todos tentam acompanhar, esquecendo das coisas mais simples que se precisa que é respirar, sorrir, ver o outro, ouvir. “Estamos perdendo muito isso, nos transformando em seres humanos mais duros  e insensíveis e estamos buscando uma forma de ficar mais flexíveis e tentar compreender o outro, mas ainda não conseguimos ouvir nem a nós nem ao outro”, atentou Dígena.

Pela vida – “O Setembro Amarelo está acabando, mas a ação deve durar o ano inteiro, com todas as cores do arco-íris e todos os dias do ano. P projeto fala sobre a valorização da vida , o que é a vida no seu aspecto simples  e singular, concluiu Demétrius Reis.