Maternidades: melhorias estruturais resultam na ampliação da assistência

postado em: Destaque 2, Notícias | 24

Por Morgana Barbosa

A descentralização dos serviços em saúde contempla a assistência prestada pelas unidades que integram a Rede Materna Estadual em Sergipe. Entre elas estão as maternidades dos Hospitais Regionais de Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora do Socorro e Propriá, unidades que garantem cobertura assistencial a 38 cidades de três diferentes regiões de saúde de Sergipe. Juntas, elas realizaram 12.734 atendimentos entre os meses de janeiro e novembro deste ano.

Os números comprovam o alto índice de resolutividade na assistência às gestantes de baixo risco. Além disso, tais constatações são reflexo de um contínuo processo de aprimoramento estrutural e qualificação dos serviços geridos pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), através da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), que gere as unidades da rede materna.

A Maternidade que registrou o maior número de atendimentos foi a de Nossa Senhora do Socorro, que contabilizou 7.947 pacientes atendidos, com o registro de 1.712 partos e 346 procedimentos de curetagem. Entre os fatores que contribuíram para que essa demanda fosse atendida de forma resolutiva está a melhoria estrutural pela qual passou a unidade durante este ano. No Centro Obstétrico e Alojamento Conjunto, por exemplo, houve a expansão do pré- parto, com ampliação do número de leitos, passando de quatro para sete.

Mas não só os usuários se beneficiaram com essas melhorias. Os profissionais também passaram a contar com espaços otimizados, assim como maior segurança e conforto. “Houve a construção de repouso para equipe multidisciplinar do Centro Obstétrico, dentro do próprio setor; estruturação de Copa privativa do setor, mantendo os profissionais na sua área de atuação. Também foi instalada tranca automática na porta de acesso, dando mais segurança tanto aos profissionais quanto as parturientes”, destacou a superintendente do Regional de Socorro, Genisete Pereira.

Somam-se as melhorias estruturais da unidade a reposição de todas as poltronas para acompanhantes no alojamento conjunto (internamento); aquisição de mesa de refeição para todos os leitos do Alojamento Conjunto; e a instalação de aquecimento da água em todas as enfermarias, destinadas ao banho dos recém nascidos. Essa unidade garante cobertura assistencial a 13 municípios da Região, além de demanda espontânea de outros Estados e municípios, incluindo Aracaju.

“A parceria entre o Governo do Estado, Secretaria de Estado da Saúde e Fundação Hospitalar vem, através de muitos esforços conjuntos, proporcionando uma melhoria gradativa ao funcionamento da maternidade de Nossa Senhora do Socorro. O resultado disso é o aumento no número de atendimentos e procedimentos”, avaliou Genisete Pereira. A superintendente acrescenta que entre os resultados obtidos está a confiança da população no serviço prestado e a eficaz integração com Rede Materna.

Glória

Já as mulheres que passam por gestação de risco habitual da Região do Alto Sertão sergipano, têm assistência garantida na maternidade do Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória. A unidade realiza procedimentos obstétricos, tais como partos cesáreos e normais de risco habitual, bem como curetagens. Entre os meses de janeiro e novembro deste ano, foi registrado um total de 3.227 atendimentos e 1.242 procedimentos realizados.

“Ao longo deste ano ocorreram avanços significativos com a implementação da prática humanizada no alívio da dor e durante o trabalho de parto. Esse fato deve-se a continua capacitação de profissionais da unidade, que buscam o constante aprimoramento técnico”, ressaltou a gerente das unidades de internação do Regional de Glória, Fabrine Almeida.

Esse importante equipamento de saúde abrange a assistência a nove municípios da Região, entre eles estão: Monte Alegre, Poço Redondo, Porto da Folha, Gararu, Itabi, Graccho Cardoso, Feira Nova e Canindé.

Propriá

Na Região do Baixo São Francisco as gestantes têm a assistência garantida na maternidade do Hospital Regional de Propriá. Essa unidade também passou por importantes melhorias, não só estruturais, mas também em relação aos processos de trabalho.

“Além da reforma realizada no Hospital, ocorreu a adequação da ambiência na sala de pré-parto; instalação de ar condicionado em todos os ambientes; e o recebimento de novos colchões, macas, poltronas, cabeceiras e mesas ”, explicou a superintendente da unidade, Ana Paula Fraga. A implantação de normas e rotinas, protocolo operacional padrão, implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem, também foram avanços citados pela gestora da unidade.

Todas essas melhorias repercutiram nos índices de resolutividade da maternidade de Propriá, que contabilizou, entre os meses de janeiro e novembro, o atendimento a 1.560 pacientes. Somente no mês de março foi contabilizado o maior número, em relação aos demais meses do ano, com 184 pacientes assistidas.

“Ao todo, 60 pacientes precisaram ser transferidas para a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL), que é referência no atendimento a gestante de alto risco. Esse procedimento ocorre através do sistema de regulação da Rede Materna, com a qual atuamos de forma integrada para garantir a assistência adequada em cada caso”, acrescentou a superintendente.

A cobertura assistencial da unidade alcança 16 municípios da região. “Nossos desafios são enfrentados com total competência, responsabilidade e compromisso”, enfatizou a gestora.