Insônia: distúrbio do sono atinge cada vez mais pessoas

 

O estresse, o aumento dos casos de depressão, maus hábitos, alimentação inadequada e o sedentarismo estão entre os principais fatores que tem causado cada vez mais insônia na população, que é a dificuldade em iniciar ou manter o sono. Para se ter uma ideia, este distúrbio do sono, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) atinge em média 45% dos brasileiros.

 

Segundo a psiquiatra Ana Angélica Salmeron Menezes, a correria do dia a dia, por exemplo, também está entre os fatores que contribuem para a insônia. “Este distúrbio tem, de fato, atingido cada vez mais pessoas e existem vários fatores que podem causar a insônia. A correria do dia a dia, as diversas atribuições que hoje o ser humano tem, as preocupações e a falta de tempo para o lazer, por exemplo, estão entre as principais causas. E ela, inclusive, pode estar relacionada a outras doenças, como a ansiedade e a depressão. É preciso ficar atento porque a insônia pode afetar a qualidade de vida da pessoa”, alerta.

 

Ainda de acordo com ela, quem sofre deste distúrbio, normalmente, amanhece cansado, sem ânimo, e apresenta mudança no humor, irritação, tensão muscular, dificuldade de concentração e até perda da capacidade funcional. O ideal, completa Ana Angélica, é dormir de 7h a 8h por dia.

 

“A insônia pode trazer vários prejuízos e desestabilizar totalmente a vida da pessoa. Por isso, se a falta de sono persistir, o indicado é procurar um médico para descobrir o que esta causando o distúrbio para que haja um tratamento. Às vezes, a depender do caso, é necessário entrar com medicação. E é importante ressaltar que a automedicação nunca é indicada”, conta.

 

Prevenção

Alguns hábitos simples fazem bem para o sono e podem prevenir a insônia. Entre eles: fazer atividade física regularmente, antes de dormir evitar a cafeína e consumir alimentos leves e nutritivos, organizar as tarefas do dia a dia, tirar um tempo para os momentos de lazer e deitar sempre no mesmo horário.

 

“Por causa da correria que as pessoas vivem elas não conseguem ter momentos de lazer, por exemplo, e não conseguem ficar com suas famílias e amigos com frequência. E isso é também prejudicial à saúde. Com alguns hábitos simples, é possível prevenir a insônia”, afirma a psiquiatra.

 

Aparelhos eletrônicos

Ao contrário do que muitos pensam aparelhos eletrônicos, como celular, tablete e computador não são aliados do sono. Segundo Ana Angélica, eles estimulam o cérebro e prejudicam o sono. “Muitas pessoas ficam mexendo no celular antes de dormir, achando que isso ajuda o sono, mas isso não acontece. Pelo contrário. Deitar e ficar usando aparelhos eletrônicos estimula o cérebro e faz com que a pessoa fique ainda mais acordada, o que é totalmente prejudicial pra ela. Uma boa noite de sono é fundamental”, conclui a psiquiatra.

Publicado: 11 de agosto de 2017, 23:25 | Atualizado: 11 de agosto de 2017, 23:25


Publicações Relacionadas