Hospitais Regionais: aumento nos atendimentos fortalece a descentralização dos serviços de saúde

postado em: Destaque 3, Notícias | 3

Por Bárbara Kruschewsky

A média de atendimentos no Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro vem aumentando significativamente e, assim como os demais Regionais da Rede Estadual de Saúde, vem tornando-se um grande parceiro do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), contribuindo para a descentralização do serviço de saúde pública. De 2015 para cá, a média de atendimentos aumentou de 500 para 800. Só nesse final de semana foram atendidos 854 pacientes.

Segundo a superintendente Genisete Pereira, desses 858 atendimentos, 583 foram clínicos, 202 foram atendimentos pediátricos e 69 obstetrícios.

“Do total de pacientes atendidos no Pronto Socorro,  18 ficaram internados os demais foram liberados para casa, após ter recebido atendimento adequado, caracterizando 97,8% de resolutividade”, completa a superintendente.

No Hospital Regional Dr. Pedro Garcia Moreno, em Itabaiana, o movimento também foi grande. Foram 676 pacientes atendidos entre os dias 15 e 17 abril, e 25 pacientes permaneceram internados.

“Nesse final de semana, 651 pacientes receberam alta após terem suas necessidades atendidas, o que configura 96,3% de resolutividade”, explica Darcy Tavares, superintendente.

Em Estância, no Hospital Regional Dr. Jessé de Andrade Fontes, foram atendidos 607 pacientes. Desse total, 7 foram procedimentos cirúrgicos e 14 internamentos.

Já o Hospital Regional de Glória teve um final de semana um pouco mais tranquilo, mas com muita resolutividade nos atendimentos. Foram contabilizados 458 atendimentos e, desse total, 346 correspondem a atendimentos clínicos, 97 pediátricos, 15 obstetrícios e 8 internamentos.

“Dos 458 pacientes que recebemos no final de semana, 447 tiveram suas necessidades médicas resolvidas logo após o atendimento e foram mandados para casa. O restante corresponde ao número de internados e 3 pacientes foram removidos para outras unidades por necessidade clínica de alta complexidade”, informa Dejane Santa, superintendente do Regional de Glória.