Hemose alinha fluxos dos serviços de Agência Transfusional em Itabaiana

postado em: Destaque 2, Notícias | 8
Nesta terça-feira, 30, os gestores do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose), unidade da Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), que integra a Rede Estadual de Saúde, realizaram uma visita técnica à Agência Transfusional (AT) do Hospital Regional de Itabaiana. O encontro teve como finalidade a discussão dos fluxos de trabalho e a melhoria continuada do atendimento transfusional aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).
O Hemocentro de Sergipe é responsável pela gestão das agências transfusionais dos hospitais regionais localizados nos municípios de Lagarto, Estância e Itabaiana. O serviço é responsável pelo armazenamento de componentes do sangue, hemácias, plaquetas e plasma. Antes da transfusão sanguínea são realizados testes de ABO, compatibilidade entre doador e receptor, preparação e liberação da bolsa de sangue.
De acordo com o superintendente do Hemocentro de Sergipe, Sergio Costa Viana, a parceria dos setores que atuam na prestação de serviços de saúde é essencial. “Essa foi à terceira visita que realizamos as agências transfusionais sob a gestão da unidade.  Aqui buscamos a troca de informações para verificarmos as necessidades do hospital e estabelecermos a tomada de decisão para assegurar a prestação de serviços voltados para segurança transfusional”, frisou.
Já o superintendente do Hospital Regional de Itabaiana, Darcy Pinto, avaliou o  momento como extremamente produtivo. “Acredito que essa aproximação entre as duas gestões é importante pela oportunidade da discussão para melhoria da qualidade da nossa prestação de serviços e para que possamos sanar problemas referentes à rotina diária que envolve a dinâmica do funcionamento de uma unidade hospitalar”, ressaltou o médico.
Conforme a gestora da Hemorrede, Mariamalia Newton Andrade, as atividades relativas à operacionalização dos serviços de hemoterápicos no Estado visam à melhoria continua dos serviços prestados aos usuários na rede hospitalar. “A atuação da hemorrede inicia desde a captação de doadores de sangue até a aplicação do produto final – transfusões de hemácias, plaquetas ou plasma. Também realizamos o monitoramento dos serviços, capacitação dos profissionais e a hemovigilância”, salientou.