Em Brasília, governador busca recursos para Saúde

postado em: Notícias | 0

Por ASN  | Fotos: Roque Sá

GOV_SES_MS (2)Na manhã desta quinta-feira, 03, o governador Jackson Barreto reuniu-se com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, para tratar do cofinanciamento Federal da Rede de Atenção Hospitalar. Acompanhado do secretário de Estado de Saúde, José Sobral, do deputado federal, Fábio Reis e o deputado estadual, Zezinho Guimarães, o chefe do Executivo estadual discutiu ainda a habilitação para clínica de hemodiálise em Estância, qualificação para aumento do recebimento de recursos para o Samu, apoio, por meio de cofinanciamento, para ações de combate, prevenção e cuidado aos males causados pela infestação do mosquito Aedes aegypti e a manutenção do repasse de recursos ao Fundo Estadual de Saúde.

 

“Precisamos garantir os recursos que já existem para a área da saúde e buscar novas formas de financiamento. Com o aumento da nossa rede de atendimento, com os novos hospitais regionais, o Governo do Estado tem suportando sozinho todas essas despesas, numa relação muito desproporcional de 80% para o nosso governo e 20% para o Governo Federal. Com as quedas de receita, as contas não estão fechando, e mais do que nunca, estamos precisando do suporte do Governo Federal para fazer frente a essas despesas”, disse o governador.

 

GOV_SES_MS (1)Jackson Barreto solicitou ao ministro um aumento do cofinanciamento federal com um aporte mensal da ordem de R$ 5 milhões para fazer frente às despesas referentes à reestruturação e qualificação da rede de referência na atenção hospitalar e especializada. Ele explicou que quatro hospitais regionais foram reformados e ampliados e dois novos foram construídos. Juntas, as unidades registram mais de 50 mil atendimentos. Essa ampliação de capacidade instalada trouxe um aumento dos custos de operacionalização da rede que, aliados ao aumento natural dos insumos, praticamente esgotou a capacidade orçamentária e financeira do Estado para a área de Saúde.

 

O ministro Marcelo Castro mostrou-se sensível aos apelos do governador Jackson Barreto. “Nossa preocupação é a mesma do Estado: a assistência para a população. A gestão deve ser dividida entre os entes federados e o Governo Federal vai fazer sua parte. Vamos mandar uma equipe para qualificar a gestão de Sergipe, analisar a produção e gerar créditos no sistema para o estado”, disse o ministro.