Conselho Estadual de Saúde trata de propostas para 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres

postado em: Notícias | 0

 

Nesta segunda-feira, 14, no auditório da Secretaria de Estado da Saúde (SES), foi realizada a reunião extraordinária do Conselho Estadual de Saúde (CES), que trata das 12 propostas aprovadas em âmbito nacional e que serão apresentadas na 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres. O evento será realizado entre os dias 17 e 20 de agosto, em Brasília, e tem como objetivo propor diretrizes para a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres (PNAISM). A conferência tem como tema ‘Saúde das mulheres: Desafios para a integralidade com equidade’.

Sergipe estará sendo representado na Conferência Nacional através da atuação de 32 delegados eleitos na I Conferência Estadual de Saúde das Mulheres, que ocorreu em Aracaju no último mês de junho. Esses delegados levarão tais propostas para Brasília, a fim de que sejam votadas juntamente com as propostas elaboradas nos demais estados brasileiros.

As 12 propostas defendidas pelos delegados de Sergipe foram distribuídas em quatro eixos: ‘O papel do Estado do desenvolvimento sócio-econômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres’, ‘O mundo do trabalho e suas conseqüências na vida e na saúde das mulheres’, ‘Vulnerabilidade e equidade na vida e na saúde das mulheres’ e ‘Políticas públicas para as mulheres e participação social’.

“Esses eixos tratam ainda de aspectos, como a garantia de investimento na economia familiar para mulheres de baixa renda, com suporte oferecido mediante capacitação profissional. Além desse, a inserção na política nacional de atenção integral à saúde das mulheres, ações que levem em consideração a sua crescente participação no mundo do trabalho, promovendo estratégias para combater o assédio moral e sexual”, detalhou o vice-presidente do Conselho Estadual de Saúde, Eduardo Ramos.

Segundo Eduardo Ramos, tais propostas deverão auxiliar no processo de construção do Plano Nacional de Saúde (PNS), gerando benefícios para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) em nível nacional, estadual e municipal. “O papel do CES é trabalhar para que sejam ouvidos os discursos populares sobre saúde da mulher, sendo que todas as propostas são provenientes dos municípios, daí a importância da CES e da própria SES, que coordena a elaboração dessas propostas”, acrescentou o vice-presidente.

A delegada eleita Cibele Braz estará presente na 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres e anseia pela aprovação de propostas que garantam efetivamente os direitos reservados ao público feminino. “As propostas que tratam do respeito à mulher no seu ambiente de trabalho e das políticas de proteção que visam reduzir estatísticas sobre violência também devem ser priorizadas”, ressaltou ela, que estará no evento integrada ao grupo de delegados que são representantes de gestão na área da saúde. Além desse grupo, os delegados também serão representados por trabalhadores da área da saúde e integrantes de Movimentos Sociais.