Comitê Estadual de Prevenção de Mortalidade Materna, Infantil e Fetal (CEPMMIF)

.

O Comitê Estadual de Prevenção de Mortalidade Materna, Infantil e Fetal (CEPMMIF), tem caráter eminentemente educativo, técnico-científico-consultivo, multiprofissional e interinstitucional, congregando instituições governamentais e da sociedade civil organizada, atuando como instrumento importante na investigação epidemiológica e na análise da atenção à saúde, com o objetivo de subsidiar a elaboração de políticas e ações de saúde que impactem tanto na qualidade do cuidado, quanto na melhoria dos indicadores de saúde.

São objetivos específicos do CEPMMIF:

a) Apoiar os serviços de saúde, incentivando a análise dos óbitos, com enfoque sobre o monitoramento da situação epidemiológica, as causas e fatores determinantes;
b) Analisar o impacto das políticas públicas voltadas para este fim, estabelecendo critérios de intervenções sobre a morbidade e a mortalidade desse público, a partir de critérios de evitabilidade do óbito;
b) Utilizar tais óbitos como “eventos sentinela”, visando à detecção de falhas que tornaram o evento (óbito materno, infantil e fetal) passível de correção para que outros óbitos da mesma natureza sejam evitados, buscando parcerias de modo a garantir o funcionamento adequado do sistema de saúde;
c) Contribuir para aperfeiçoar o conhecimento sobre as causas de mortalidade materna, infantil e fetal, os fatores de risco associados, bem como a relação entre as condições de vida e o risco de mortalidade materna, infantil e fetal;
d) Zelar pela comparabilidade de estatísticas de mortalidade materna, infantil e fetal com os níveis nacional, regional e local, fortalecendo e/ou adequando os sistemas estatísticos disponíveis com a finalidade de examinar as tendências da mortalidade e identificar os subgrupos de população de maior risco;
e) Envolver e sensibilizar gestores, profissionais de saúde e a sociedade civil sobre a situação da mortalidade materna, infantil e fetal, por meio de documentos, recomendações e ações de educação em saúde;
f) Estimular e participar de ações de prevenção, estimulando parcerias entre diversas instituições e organizações envolvidas, governamentais ou não, construindo um processo de ensino-aprendizagem contextualizado e pautado na co-responsabilização;
g) Divulgar a magnitude da mortalidade materna, infantil e fetal na forma de relatórios, boletins, publicações, reuniões e eventos científicos para as instituições e outros órgãos que possam intervir na redução da mortalidade.

Publicado: 16 de setembro de 2021, 10:48 | Atualizado: 30 de setembro de 2021, 09:59


Publicações Relacionadas