Banco de Leite Humano esclarece sobre os principais critérios para doação

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

Por Júnior Matos

O Banco de Leite Humano (BLH) Marly Sarney é a referência Estadual para a captação e a distribuição do leite materno aos bebês de alto risco e prematuros da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) e às mamães que têm dificuldade para amamentar. O serviço precisa do apoio de mulheres solidárias que tenham leite em excesso (que não falte para os bebês delas).

A unidade é uma extensão da MNSL. Além da captação do leite, as profissionais estimulam a prática do aleitamento. A gerente do Banco de Leite, Hélia Karla Agapito, explica que o leite materno é a principal fonte de nutrientes para o recém-nascido.

“O ato solidário da doação ajuda as mães que não conseguem amamentar seus bebês internados nas Unidades Neonatais do Estado. O leite materno deve ser alimentação exclusiva para o bebê até os seis primeiros meses de vida. Após este período, outros alimentos podem ser introduzidos na alimentação, junto com o leite materno até os dois anos de idade”, explica Hélia Karla Agapito, que tira as principais dúvidas sobre o processo de doação de leite materno.

AscomSES/FHS – Como é o acesso da futura doadora ao Banco de Leite Humano?

Hélia Karla – A mulher que deseja ser doadora deve comparecer com os exames de pré-natal e acompanhada do bebê para avaliação. Na ocasião, será verificado se a mamãe tem excesso de leite ou se o bebê apresenta alguma dificuldade na hora de mamar. Comprovado o excesso, a mulher é cadastrada e ganha o “kit doadora” com frascos para armazenamento do leite. A primeira doação é feita no BLH. Posteriormente, as mamães tiram e armazenam o leite na residência e o BLH se encarrega de buscar o material.

AscomSES/FHS – Quais os critérios para se tornar doadora?

HK- Ter excesso de leite, estar amamentando, não realizar uso de medicação que prejudique a amamentação, não ingerir bebida alcoólica e seguir todas as recomendações passadas pelo BLH.

SES/FHS – O leite doado passa por algum processo de preparação antes de ser entregue à MNSL?

HK- Todo leite humano deve ser pasteurizado para ser encaminhado as Unidades de Terapia Intensivas Neonatais (Utins), conforme o pedido do médico e /ou do nutricionista. A pasteurização é um processo térmico que inativa microrganismos.

Ascom ES/FHS – O que significa peito empedrado? O que a mãe deve fazer para evitar que isso aconteça?

HK- É o peito endurecido, pesado, dolorido, avermelhado e que dificulta a saída do leite para a boca do bebê. Isso acontece quando a mamãe coloca o filho para mamar três horas a mais da última mamada, quando existe muita produção de leite. A descida do leite que é chamada de “apojadura” pode acontecer nos primeiros dias após o parto. Portanto, é aconselhado que a mãe coloque o bebê em livre demanda (sempre que ele queira) e caso o bebê seja “preguiçoso”, deve acordá-lo e colocá-lo no seio, não deixando mais de três horas sem mamar. Também não é aconselhável fazer compressas morna. Isso aumenta o empedramento.