Aedes: Saúde divulga novo Informe Epidemiológico

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

Por Morgana Barbosa

As atualizações de casos e consequências das arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti em Sergipe foram divulgadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Sala Estadual de Situação. O Informe Epidemiológico semanal relata, também, as ações realizadas até o dia 19 de dezembro de 2016, para o controle da situação.

“Em relação à Microcefalia, nenhum novo caso foi registrado na última semana, conforme o Registro de Eventos em Saúde Pública – REVS/ CIEVS/ DVIS. Em Sergipe, os dados coletados desde a implantação da notificação compulsória, somam 270 casos”, destacou a gerente do Núcleo de Doenças Transmissíveis da SES, Mércia Feitosa.

De acordo com o informe, esses casos estão distribuídos em 56 municípios sergipanos, sendo que 56 deles se encontram em processo de investigação, 128 foram confirmados e 86 foram descartados. A região de Aracaju aparece com maior número, tendo contabilizado 98; em seguida está a Região de Nossa Senhora do Socorro, com 43 casos; Estância, com 37; e Itabaiana, com 29 casos.

Já os registros de Zika vírus, notificados em 2016, até a última semana epidemiológica, somam um total de 296 casos prováveis, distribuídos em 27 municípios. Dos casos notificados 30 foram confirmados. Os seis municípios com as maiores taxas de incidências (casos/100.000hab.) são: São Miguel do Aleixo, Canindé do São Francisco, Umbaúba, Santa Luzia do Itanhy, São Domingos e Arauá.

Ao longo do ano, até a semana epidemiológica 50, também foram notificados um total de 8.058 casos prováveis da Febre do Chikungunya. Esses casos estão distribuídos em 72 municípios. Entre as cidades que apresentam maior incidência da Febre estão: São Cristóvão, Umbaúba e São Miguel. Dos casos notificados, 5.906 foram confirmados. Ainda durante este ano, 3.418 casos prováveis de Dengue foram notificados em 70 municípios.

Orientações

“É importante que os municípios mantenham as ações de combate ao mosquito. Além disso, orientamos que as ações de notificação e investigação de casos suspeitos sejam intensificadas”, alerta a gerente do Núcleo de Doenças Transmissíveis da SES.

A implantação de Comitês Municipais de Mobilização, Prevenção e Combate ao Vetor, também é uma estratégia indicada aos municípios. Mércia Feitosa destaca, ainda, a atuação da Brigada Itinerante Estadual, que desenvolveu ações em Propriá, nos dias 12 e 13 de dezembro; Umbaúba, nos dias 14 e 15; e Telha, no dia 16.

Confira no link o Informe completo: http://187.17.2.171/saude-infectado/wp-content/uploads/Informe-Semanal-55-micro-chik-dengue-e-Zika_19.12.2016.pdf