Pacientes da MNSL discutem os desafios e potencialidades de ser mulher

postado em: Destaque 2, Notícias | 4.429

Por Morgana Barbosa

 

Na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (MNSL) o Dia Internacional da Mulher foi, também, dia de reflexão entre as pacientes. Por meio da vivência “Potências e desafios do ser mulher” as usuárias puderam compartilhar suas histórias. A atividade contou com a mediação da equipe do Núcleo de Educação Permanente da maternidade, em parceria com as estagiárias em psicologia que atuam na instituição, orientadas pela preceptora e psicóloga Gabriela Barreto. “Trouxemos a reflexão do que é ser mulher para além do que se tem socialmente construído. Mostramos que essa percepção é muito subjetiva. É uma  construção diária”, comentou a psicóloga

 

Uma caixa com vários objetos foi levada até as pacientes, que fizeram a escolha de um item com o qual elas se identificassem enquanto mulher. Foram objetos pensados de acordo com a idéia socialmente construída sobre o feminino, mas também coisas que aparentemente estão desassociadas dessa idéia. “É pensar a mulher não só enquanto flor, mas a mulher que também pode ser espinho, que tem defeitos, que tem dias ruins”, ressaltou Gabriela Barreto.

 

As usuárias internadas na unidade também foram provocadas a pensar o que é ser mulher para além do ser mãe. Essa busca foi promovida por meio da discussão das experiências e opiniões das próprias pacientes.

 

Luciana de Araujo, 31, há quase um mês internada na MNSL está grávida de gêmeos. Dedicada aos cuidados com a gestação de alto risco, ela pôde durante a ação voltar o olhar também para si.“Foi um grande aprendizado. Eu me senti mais mulher, mais completa”, revelou Luciana.

 

A adolescente C. I, 16 anos, internada há cinco dias na unidade, comemorou a oportunidade de interagir e aprender com a experiência. “Foi muito importante compartilhar nossas histórias. Passamos a conhecer novos pontos de vista, o que nos ajuda a amadurecer, também”, frisou a jovem.

 

Para o grupo que mediou a ação a oportunidade também foi de aprendizado. “Para mim ficou a experiência da diversidade do olhar. Proporcionado pelo contato com as pacientes com diferentes perfis”, disse a estudante de psicologia, Acácia Vilar.

 

“A integração e parceria é muito importante. São colaboradores voluntários que agregam de forma positiva e os resultados são muito gratificantes, tanto pra quem recebe quanto para quem está envolvido na organização das ações”, ressaltou Dígena Dias, Responsável Técnica pelo Núcleo de Educação Permanente da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes.

 

Pacientes internadas participam de discussão sobre os desafios de ser mulher
Pacientes internadas participam de discussão sobre os desafios de ser mulher
A paciente Luciana Araújo aprovou a ação
A paciente Luciana Araújo aprovou a ação

 

Atualizado: