Brigada Itinerante da Dengue visitará mais de 12 mil domicílios em Poço Redondo até quarta

postado em: Notícias, Slide | 0

A Brigada Itinerante de Combate à Dengue da Secretaria de Estado da Saúde em parceria com a Fundação Estadual de Saúde (Funesa) retomou suas atividades de campo nesta segunda-feira, 13, no município de Poço Redondo, sertão sergipano, onde a singularidade em destaque é o hábito da população de reservar água em cisternas, tanques, galões e outros e reservatórios.  A prática favorece o surgimento de criadouros do mosquito Aedes aegypti, como constatou a agente de endemias Lucineide Souza Nunes em duas das três primeiras casas que visitou na manhã desta segunda-feira.

A cada criadouro identificado, a aplicação do larvicida pelo agente é a providencia que vai eliminá-lo, mas isso só não basta porque é uma ação paliativa. O que vai impedir que novos criadouros apareçam é o habito saudável de higienizar os reservatórios e isso quem pode fazer é a população, como disse a agente de endemias ao ensinar as famílias como fazê-lo.

“O fato de armazenar água é um problema se ela não for bem cuidada. Infelizmente há uma deficiência por parte da população com relação à limpeza. Sabemos que as pessoas precisam armazenar água devido às constantes e duradouras falta de abastecimento, mas pelo bem de todos é necessário que se faça a limpeza correta, com sabão e esponjinha para lavar as laterais dos reservatórios que é onde as larvas são colocadas. Esse procedimento deve ser feito pelo menos uma vez por semana”, orientou.

O coordenador da brigada, Edvaldo Maciel, informou que a força-tarefa fica em Poço Redondo até quarta-feira, 15,  e até lá serão visitados em torno de 12 mil imóveis na sede do município e em pelo menos seis povoados maiores. “Retomamos nossas atividades com a brigada completa e disposição renovada”, declarou.

Para o morador de Poço Redondo, Romário Souza Pinto, o trabalho da brigada é fundamental para ajudar no combate à dengue. “Muita gente não tem consciência sobre o que fazer, não sabe como cuidar. Então os agentes chegam e nos orientam, o que é muito bom para evitar que a dengue chegue até nós”, disse. O mesmo crê a moradora Udejanara Santos Oliveira Rios, que tem receio da doença pelo seu bebê de seis meses. “Acho importante a presença da brigada porque tinha algo na minha cisterna e eu não sabia porque moro aqui há pouco tempo. Agora vou tomar medidas para manter meu reservatório livre de larvas”, garantiu.

Capacitação

Os agentes da brigada itinerante passaram toda a semana passada em sala de aula na Fundação Estadual de Saúde (Funesa), para uma capacitação de atualização dos processos de trabalho. “Fizemos abordagens em Educação em Saúde; Informações sobre coleta de dados; Ética do Trabalho; e Processos Comunicacionais. O objetivo foi requalificar o agente para que aprimore os principais conceitos abordados, colocando-os em situações práticas do cotidiano. Além dos conhecimentos técnicos, procuramos fortalecer as relações interpessoais. Foi uma semana produtiva e esperamos que os aprendizados adquiridos e trocados possam reverberar em um desempenho cada vez melhor da nossa brigada”, declarou a coordenadora de  Promoção e Prevenção à Saúde da Funesa (setor responsável pela Brigada), Sandra Ribeiro.

 

Atualizado: