Psicologia e música levam bem-estar para pais de pacientes da CTI Pediátrica do Huse

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

Os psicólogos Pedro César do Prado e Carmem Cecília Tavares, que atuam na Ala D e CTI Pediátrica, do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), realizaram na tarde desta quinta-feira, 7, no refeitório do hospital, uma atividade especial para os familiares dos pequenos pacientes internados na unidade intensiva. Psicologia e música se misturaram durante a ação do Projeto intitulado “Cantando Histórias”, uma ação da equipe de psicologia do hospital que busca através da música apresentar um pouco das técnicas da psicologia e abordar temas próprios da situação de espera.

Esse grupo queira ou não é um grupo de espera, que trabalha para o bem-estar do paciente. Seja a espera de um resultado de exame, tratamento, situações dentro e fora do hospital, então, a gente trabalha muito a ter paciência, ter perseverança, conhecer a situação sem ficar perdido no sentimento de apreensão. O que a gente tenta com a música é baixar o nível de ansiedade, descontrair um pouco com eles cantando também e no segundo momento falar um pouco das experiências deles”, explicou Pedro César.

O repertório trazido para a atividade é sempre variado e os próprios participantes pedem em sua maioria louvores religiosos ou músicas que tocam o coração e trazem paz. O projeto Cantando Histórias é um trabalho específico, dentro da psicologia como uma estratégia de aproximar mais a abordagem psicológica do senso comum e trazer a música como agente facilitador.

A jovem Claudiene Santos, 24, foi visitar o filho E.S, 3, que está internado na CTI Pediátrica há dois anos e dez meses, depois de uma paralisia cerebral que o deixou dependente da ventilação mecânica. Diariamente, ela segue com fé todas as vezes que vai visitar o filho e diz que as atividades da psicologia ajudam a enfrentar a situação com mais ânimo e força. “Eu só posso agradecer essas atividades que os psicólogos fazem com as mães. Artesanato, música, conversa e muito amor compartilhado. Eu fico muito feliz e dá mais paz e tranquilidade principalmente na hora que vamos visitar os nossos filhos”, disse.

O local para a apresentação do projeto foi o refeitório do hospital, já que ele é itinerante. A psicóloga Carmem Cecília Tavares, ressaltou que essa é a quarta vez que o projeto acontece com os pais dos pacientes da CTI. “Juntar a música com o contar a história deles é terapêutico. O Pedro escolheu o refeitório para tirar eles um pouco do ambiente de internamento hospitalar. O hospital ofereceu um lanche bem gostoso pra eles se sentirem ainda mais especiais”, concluiu a psicóloga.

Fotos: Valter Sobrinho

Atualizado: