Cortejo junino anima pacientes no Huse

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

Se os pacientes internados no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) não estão de alta médica para participar das festas de São João, a alegria dos festejos juninos vem até eles. Foi o que aconteceu na manhã desta sexta-feira, 14, nas enfermarias do internamento e em todas as áreas do Pronto Socorro do hospital. Um cortejo junino formado por forrozeiros animaram os pacientes, acompanhantes e funcionários no Huse.

O evento foi promovido pela assessoria técnico administrativo do Huse, Geovânio Matos, que trouxe os músicos Gilvan do ‘Rojão’ e Dedé Brasil, que juntos ao trio pé de serra cantaram um repertório que foi desde Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Flávio José até os forrós da atualidade. A alegria e a disposição dos pacientes eram visíveis durante o cortejo junino.

“O forró está só começando, por isso, é importante animar os pacientes que já passam por momentos de tristeza e dor, esse é o nosso principal objetivo e tenho certeza que eles gostaram muito. Elevar a autoestima deles, dos nossos colaboradores e todos que acompanham. Essa abertura dos festejos juninos aqui no Huse foi emocionante e na próxima terça-feira, 18, vamos fazer outro cortejo pela Oncologia e Pediatria”, enfatizou Geovânio.

O músico Dedé Brasil cantou e encantou a todos por onde passava. “A gente participa todos os anos desse cortejo e é uma honra estar aqui mais uma vez e participar dessa brincadeira, levando alegria para os pacientes, acompanhantes e profissionais do hospital. Nesse período junino, muita gente que está aqui gostaria de estar em suas casas comemorando a festa com suas famílias, então, eu acho que a gente tem o dever de fazer o bem ao próximo, nada mais importante do que fazer o bem sempre, principalmente para os que estão precisando, para aqueles que Deus toca no coração, vamos voltar mais vezes para continuar com essa festa”, destacou o músico.

O paciente Ailton José de Souza, 58, batia palmas e mesmo deitado cantava as canções. “Estou internado e ainda sem previsão de alta, minha diabetes é muito alta e está começando a controlar com medicação e alimentação correta. Gosto muito de forró e poder ouvir esse som aqui internado é uma medicação a mais para o meu coração. Isso é muito bom para o tratamento, veja como os pacientes ficam animados”, declarou.

A costureira Karla Tavares, 23, estava acompanhando a mãe internada há 17 dias na enfermaria. Ela ouviu o som da sanfona de longe e saiu na porta para ver o que estava acontecendo. “Minha mãe ficou muito feliz, a gente é de Estância, a cidade do barco de fogo e onde o São João é muito forte. Estou muito feliz em poder prestigiar esse momento tão lindo”, ressaltou.

A ação integrou pacientes, acompanhantes e funcionários que dançaram e acompanharam o cortejo junino trazendo o clima de São João para o ambiente hospitalar.

 

Atualizado há