Diagnóstico precoce do glaucoma pode evitar cegueira

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

O cuidado com os olhos é essencial para evitar a perda da visão. A prevenção é a chave para a cura de várias doenças. O oftalmologista é o profissional que descobre quando a visão está com algum problema ou alguma doença mais séria. No Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, celebrado no próximo domingo, dia 26 de maio, o oftalmologista do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), Carlos Augusto de Oliveira, faz um alerta às pessoas quanto aos cuidados com a visão e sobre o glaucoma, uma doença silenciosa que afeta milhões de pessoas que desconhecem seus sintomas e que aos poucos vão comprometendo a visão.

“O glaucoma pode ser evitado com visitas regulares ao oftalmologista para a realização de exames preventivos. É necessário aferir a pressão intraocular e do nervo óptico, que é o encarregado de levar as mensagens visuais ao cérebro. O que está acontecendo é que muitas pessoas têm glaucoma e só buscam o médico depois de perceberem algum desconforto no olho. Isso é grave e deve ser levado a sério já que o glaucoma é considerado como a principal causa de cegueira”, explicou.

Pessoas com histórico familiar de glaucoma têm cerca de 6% de chance de desenvolver a doença. Os fatores de risco incluem pressão intraocular elevada, diabetes, pressão alta, miopia, ter mais de 60 anos, ter uma história familiar dessa condição, entre outros fatores. O glaucoma está classificado em quatro tipos: congênito, secundário, glaucoma de ângulo fechado e glaucoma primário de ângulo aberto, sendo esse último o mais comum e que representa cerca de 90% dos casos registrados.

Caso haja algum indício que exista a doença, exames complementares devem ser feitos como campo visual computadorizado, OCT de nervo ótico, entre outros. Em função de ser uma doença silenciosa, porém com um potencial agressivo muito grande com relação ao nervo ótico, todos os pacientes principalmente os que têm histórico familiar de glaucoma devem ter acompanhamento oftalmológico periódico.

Fotos: Flávia Pacheco ASCOM SES

Atualizado há