Governo alinha com MS estratégia de fortalecimento das ações de cuidado para as Crianças com Síndrome Congênita da Zika

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

O objetivo é a construção de um trabalho intersetorial e integral de forma a buscar melhores resultados no cuidado dessas crianças de acordo suas diferentes necessidades

O governo do estado de Sergipe recebeu nos dias 14 e 15 de maio, representantes do Ministério da Saúde (MS) que, em parceria com o Instituto Fernandes Figueiras (FIOCRUZ), tem o objetivo de fortalecer as ações de cuidado das crianças com Síndrome Congênita pelo vírus Zika e Storch e suas famílias. As visitas técnicas aconteceram nos municípios de Nossa Senhora do Socorro e Aracaju e tiveram o intuito de subsidiar as equipes para a construção de uma linha de cuidados intersetorial e integral de forma a buscar melhores resultados no cuidado dessas crianças de acordo suas diferentes necessidades.

A estratégia faz parte do conjunto de diretrizes preconizadas pelo Ministério da Saúde (MS) a partir dos eventos de saúde pública ocorridos em 2015 quando, depois do surto de Zika, observou-se a grande ocorrência de microcefalia em bebês de mães infectadas pelo vírus. De acordo com Aline Aguiar Freitas de Lima, da Coordenação Geral de Saúde da Criança do departamento de ações programáticas e estratégicas do Ministério da Saúde, desde 2015, o MS vem apoiando os estados do Nordeste que tiveram o maior número de caso de Zika e realizando uma série de oficinas para organização da Rede, capacitação dos profissionais e organização de uma linha de cuidado para essas crianças.
“Neste ano a gente já fez várias oficinas para ajudar no diagnóstico de um plano de ação do Estado para o atendimento a essas crianças e, nessa última etapa, estamos fazendo visitas técnicas em Unidades Básicas de Saúde, Centros de Reabilitação, fizemos uma visita domiciliar, junto com o serviço de educação e assistência social, porque essa linha de cuidado exige uma articulação intersetorial. A nossa parceria nesse trabalho é com a Estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis, que é da Fiocruz, instituto vinculado ao Ministério da Saúde e que tem esse expertise do apoio institucional”, comentou Aline Aguiar.

“Fui convidada para participar da reunião para conhecer as estratégias que o governo federal está realizando para as políticas da infância. Em Sergipe, assim como em todos os estados do Nordeste, estamos trabalhando fortemente políticas públicas para a as nossas crianças e acredito que essas ações não devem se resumir, por exemplo, a uma caderneta de vacinação, mas sim um acompanhamento da gestação até os seis anos. Devemos lembrar também que estas políticas públicas dão resultados a longo prazo e que precisamos de um envolvimento de todos os entes públicos e da sociedade”, ressalta a vice-governadora Eliane Aquino.

Para a referência técnica de Gestão da Rede Materno Infantil da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Helga Muller Mengel, essa visita técnica permitiu um novo olhar, mais apurado, para a saúde da criança, para a primeira infância, para as crianças com vulnerabilidade.

“A gente fez várias oficinas que nos qualificou para o processo, qualificou o trabalhador, qualificou o gestor, e a visita técnica é para observar os resultados, verificar o que foi feito na prática, como está a linha de cuidados. Visitamos a casa de uma família, fomos nos serviços que são prestados ali no território, o que permitiu a gente entender que temos, ainda, alguns desafios que vamos vencer. Eu sou muito entusiasta e otimista nesse sentido, e precisamos fazer essas alianças com os Ministérios, receber as ofertas, estar sempre trabalhando em conjunto com as demais políticas para dar conta desse cuidado para com as crianças do estado de Sergipe e nada mais bacana do que ter o apoio da vice-governadora no processo, apoiando as ações, apoiando a Secretaria de Estado da Saúde. Eu fico muito feliz com essa ação”, concluiu Helga.

 

 

Atualizado há