Hemose destaca importância do diagnóstico para o tratamento da hemofilia

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

Nesta quarta-feira, 17 de abril, é comemorado o Dia Mundial da Hemofilia, enfermidade que tem como característica a deficiência na coagulação sanguínea. Para marcar a data, o Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) está promovendo um ciclo de atividades com a participação de pacientes e equipe multidisciplinar com o objetivo de reforçar a importância do diagnóstico no tratamento do hemofílico.

O atendimento realizado pelo profissional de farmácia foi um dos temas da palestra ministrada pela equipe de farmacêuticas, Sylvia Daniella Freitas de Souza, Vivia Almeida Cardoso e o estagiário, Gildásio Vieira Dantas Filho. Na ocasião, o grupo abordou os principais aspectos do medicamento, dose domiciliar, a forma correta de transporte, armazenamento e descarte, importância do controle da farmácia para a segurança do paciente, dentre outros.

“Queremos ressaltar que o farmacêutico tem papel fundamental no atendimento aos pacientes portadores de coagulopatias, tendo em vista que o profissional gerencia o estoque dos medicamentos utilizados pelos hemofílicos, orienta quanto ao uso, o armazenamento, e esclarece qualquer dúvida ou reação adversa que possa surgir”, pontuou Sylvia Daniella.

De acordo com o gerente do Ambulatório, Weber Santana Teles, a última atividade em alusão a Dia Mundial da Hemofilia será na próxima quinta-feira, dia 25 de abril, com palestras informativas sobre a importância do tratamento com equipe multidisciplinar. “Essa ação final com a participação de todos os profissionais tem como finalidade melhorar as informações e a conscientização sobre a doença, tratamento e forma de vida saudável que todo hemofílico pode ter, quando segue as orientações médicas”, salientou.

O Hemose é o centro de referência em Sergipe para o atendimento de diversas coagulopatias e hemoglobinopatias. O serviço ambulatorial da unidade conta com um cadastro de cerca de 350 usuários para tratamento e acompanhamento da hemofilia tipos A e B, anemia falciforme, talassemia, doença de Gaucher e doença de Won Willebrand. Todo o atendimento é realizado por uma equipe multiprofissional composta de médicos, enfermeiros, dentistas, farmacêuticos, fisioterapeutas, assistentes sociais e psicólogos responsável pelo monitoramento e tratamento  da hemofilia realizado com a infusão de concentrado de Fator VIII (para tratamento de hemofilia A) e concentrado de Fator IX (para tratamento de hemofilia B), distribuídos pelo Ministério da Saúde (MS).

Diagnóstico, sintomas e tratamento

A Hemofilia é um distúrbio hereditário que se origina de um defeito da coagulação sanguínea, provocando sangramento. Seu diagnóstico é feito por meio de exame de sangue realizado em laboratório de análises clínicas, que mede a quantidade de fatores de coagulação sanguínea. Como o sangue não coagula normalmente, os hemofílicos podem sofrer com hemorragias, o que provoca hematomas, fraquezas e desgaste de ossos e cartilagens. Para mais informações sobre o tratamento no ambulatório do Hemose, que funciona diariamente de segunda a sexta-feira, no horário das 7h às 16h. Mais informações através dos telefones: (79)3225-8000 e 3225-8046.

Atualizado há