Vigilância Sanitária estadual e Lacen retomam parceria no monitoramento de alimentos em Sergipe

postado em: Destaque 2, Notícias | 0

Aconteceu na manhã desta quinta-feira, 18, na sede da Secretaria Estadual de Saúde (SES), reunião entre a coordenação Estadual de Vigilância Sanitária (COVISA) e a superintendência do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) para discutir a retomada de parceria e alinhamento de agendas em comum como, por exemplo, acordar o retorno do Programa Estadual de Monitoramento de Alimentos (PROEMA) no estado Sergipe.

 

O Lacen tem importância fundamental para o trabalho realizado pela Vigilância Sanitária que não se restringe a inspeções para verificação das Boas Práticas e estruturas dos estabelecimentos sujeitos à regulação sanitária. O laboratório complementa a ação no monitoramento dos produtos que são objetos de controle sanitário. “O trabalho da vigilância não é completo se não tiver um Lacen forte, resolutivo, com uma capacidade técnica operacional capaz de atendar às necessidades dos programas que são executados por nós” disse o coordenador da Vigilância Sanitária da SES, Antônio de Pádua Pereira Pombo.

 

Com o retorno dessa parceria, programas fundamentais para garantir a segurança, a qualidade e a tranquilidade da população em relação ao consumo de alimentos, que estavam comprometidos em virtude das dificuldades operacionais do Lacen, poderão ser executados. “O trabalho fica comprometido, incompleto, sem um laboratório. Um laboratório de saúde pública é o único legalmente autorizado a realizar análises de interesse da Vigilância Sanitária. Somente o Lacen está devidamente habilitado, tanto do ponto de vista técnico quanto legal, para executar ações de interesse da Vigilância Sanitária. Estamos muito otimistas com a nova gestão, na pessoa da nova superintendente que demonstra total interesse em reestruturar o Lacen. Desejamos todo o êxito a ela e sua equipe” reforça Pádua.

 

A nova superintendente do Lacen, Erivalda Gonçalves Barreto, há um mês na função, está confiante. “Esse foi um encontro de retomada da parceria do Lacen com a Vigilância Sanitária da SES e em breve enviaremos um documento que oficializará nosso acordo”.

 

PROEMA

Idealizado e implantado há algum tempo no estado de Sergipe o Programa Estadual de Monitoramento de Alimentos (PROEMA), que ainda não chegou a ser implementado em função das dificuldades do Lacen nos últimos anos, tem como objetivo monitorar alimentos que são de largo consumo da população sergipana e que precisam ser submetidos ao monitoramento regularmente. O processo consiste na coleta do produto pela Vigilância Sanitária e o laboratório realiza a análise físico-química, toxicológica e microbiológica. Caso seja constatada alguma irregularidade, providencias deverão ser adotadas, imediatamente, pelas vigilâncias sanitárias estadual e municipais.

 

“Nessa reunião de hoje selamos a parceria para que a gente possa, ainda neste ano, iniciar a execução do PROEMA. Nós vamos priorizar alimentos como sorvetes, açaí, polpas de frutas, amendoim, queijo, pão, carne comercializada nas feiras e frigoríficos, quentinhas, água de coco e intensificar o trabalho que já é realizado com a água mineral”, comentou o coordenador.

 

“Nós temos a preocupação em garantir a qualidade desses produtos para o usuário, mas temos, também, o compromisso de trazer pessoas da informalidade para o campo da formalidade, em consonância com a estratégia de inclusão produtiva com vigilância sanitária, que tem como linha de ação a redução do risco sanitário, mas também a inclusão social de pessoas que trabalham de forma artesanal, ambulantes e até quem desenvolve pequenas atividades na própria residência, a exemplo dos microempreendedores individuais, os chamados MEI’s. Não queremos que essas pessoas deixem de produzir comprometendo sua sobrevivência, iremos orientá-las a trabalhar com conhecimento objetivando a redução do risco. Essa reunião gerou para todos nós uma expectativa muito positiva”, conclui.

Atualizado: