SES reúne municípios na oficina de enfrentamento à obesidade infantil

postado em: Notícias, Slide | 0

Uma oficina para discutir estratégias de prev enção, controle e tratamento da obesidade infantil foi realizada na manhã desta quinta-feira, 6, no auditório do Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha, reunindo coordenadores da Atenção Básica, do Programa Saúde na Escola e nutricionistas do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) dos 75 municípios sergipanos. O objetivo do evento foi o de promover uma reflexão de forma coletiva sobre as políticas públicas que precisam ser implementadas para o enfrentamento do problema e sobre os indicadores que precisam ser observados.

A oficina integra as ações do Programa Crescer Saudável, que é desenvolvido pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) de forma intersetorial entre a Área Técnica de Alimentação e Nutrição e a Referência Técnica do Programa Saúde na Escola. “Atuamos na perspectiva de avançarmos mais na prevenção do sobrepeso e da obesidade, que atinge todas as idades, mas que tem crescido muito no público infantil. Este é também um momento de discussão com os municípios sobre as ações de promoção da alimentação adequada e saudável e falar sobre a construção do Plano Estadual de Prevenção e Controle do Sobrepeso e da Obesidade”, disse o referência técnica da área de Alimentação e Nutrição da SES, Ronaldo Cruz.

A técnica da Coordenação de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Ana Maria Cavalcanti, foi uma das ministradoras da oficina. Segundo ela, há um cenário preocupante em relação ao crescimento da obesidade infantil no Brasil. “Hoje, duas em cada 10 crianças menores de cinco anos já têm excesso de peso e, de cinco a nove anos, uma em cada três crianças têm excesso de peso”, informou a técnica que trabalha especificamente com a agenda obesidade infantil.

Destacou que o Ministério da Saúde atuam no enfrentamento à obesidade infantil em parceria com Estados e municípios. “A gente conta com uma rede de profissionais da Atenção Básica e um conjunto de macro políticas e ora apoiamos esses profissionais no dia a dia do seu trabalho, nas orientações para uma alimentação adequada e saudável, no manejo do tratamento da obesidade infantil, ora buscando regular a propaganda e publicidade abusivas para criança para protegê-las das influências que interferem em sua alimentação”, salientou.

Para a coordenadora da Atenção Básica do município de Tobias Barreto, Patrícia Góis de Oliveira, a oficina é importante porque fornece orientações de como fazer o controle da obesidade infantil na Atenção Básica, além de incentivar os profissionais a estarem atentos a essa questão. “O que me chamou mais a atenção na oficina foi o quanto é importante a gente valorizar os indicadores, informando e acompanhando pelo sistema para que a gente possa adotar medidas de enfrentamento ao problema”, disse.

A nutricionista do Nasf do município de Nossa Senhora do Socorro, Luzynara Oliveira, destacou a importância da oficina. “Está sendo mesmo muito importante porque a gente está verificando que tem muitos dados que a gente não está informando no sistema, que não estão sendo contabilizados ou estão defasados. Então, é preciso avançar na informação dos indicadores, do contrário, como então desenvolver estratégias se não temos o conhecimento da realidade dos municípios?”, questionou.