Palestra destaca cuidados e tratamento para usuários portadores de Hemofilia

postado em: Notícias, Slide | 0

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) , unidade gerenciada pela Fundação Parreiras Horta, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES) reuniu a equipe técnica numa palestra sobre os cuidados pré-analíticos e a atuação laboratorial ofertada ao paciente portador de Hemofilia. A enfermidade oriunda de um distúrbio genético hereditário é classificada em três modalidades, leve, moderada ou grave, sendo que 99% dos portadores são do sexo masculino. Tem como principais sintomas, sangramento recorrente e inchaço nas articulações dos cotovelos, joelhos e calcanhar.

Ministrada pela biomédica, Liliana Martins, da indústria Shire, a atividade teve como objetivo, treinar os profissionais que trabalham diretamente com usuários hemofílicos e apresentar o diagnóstico laboratorial que envolve a doença. Na ocasião foram abordados os cuidados na coleta de amostras para testes de hemostasia, utilizados no diagnóstico da Hemofilia, além de testes de triagem e qualificação de inibidores.

“Quando um indivíduo sofre um corte, o corpo começa a sangrar e as proteínas entram em ação para estancar esse sangramento. Esse processo é chamado de coagulação. As pessoas portadoras de hemofilia, não possuem essas proteínas e por isso sangram mais do que o normal”, explicou o gerente do Ambulatório do Hemose, Weber Santana Teles.

Segundo o biomédico a palestra chamou atenção para os cuidados com a coleta de sangue, o processamento, acondicionamento e o envio das amostras para diagnóstico da patologia. “A partir desse treinamento os profissionais aperfeiçoam a técnica para realização de exames importantes no monitoramento dos pacientes com Hemofilia, principalmente aqueles que apresentam intolerância à medicação”, informou Teles.

A Hemofilia é caracterizada pela desordem no mecanismo de coagulação do sangue. Existem dois tipos da doença: hemofilia A – quando ocorre a deficiência do fator VIII de coagulação do sangue e hemofilia B – quando apresenta deficiência do fator IX. Os tratamentos cumprem protocolos do Ministério da Saúde (MS) e os medicamentos são distribuídos aos hemocentros de forma gratuita, que repassam para os usuários.

 

Serviço

O ambulatório do Hemose realiza tratamento e acompanhamento para pouco mais de 100 usuários regulares, através de equipe multiprofissional, composta por médicos hematologistas, pediatra, dentista, psicólogo, assistente social, farmacêutico, dentre outros. Para ter acesso aos serviços, basta procurar a unidade com documento de identidade e o encaminhamento do médico que realizou o diagnóstico de enfermidades do sangue, a exemplo da Hemofilia, Anemia Falciforme e Doença Won Willebrand, de segunda a sexta-feira, no horário das 7h30 às 17h. Mais informações através dos telefones: (79)3225-8000 e 3225-8046.